terça-feira, setembro 26, 2017

Conversas Subversivas 14




Os partidos em geral, e Alcácer não excepção, tendem a relegar os seus melhores quadros para segundo plano.
Para além do PS e do PCP, concorrem em Alcácer do Sal o PSD-CDS/PP e o BE. Mas mesmo que queira falar deles não há muito a referir.
No BE, já estava na hora da Nádia Penas ser cabeça de lista ou à Câmara Municipal ou à Assembleia Municipal.
No PS aplica-se exactamente  o mesmo princípio no que ao Prof. Serafim Inocêncio diz respeito. É caso para dizer que tanto numa situação como noutra... é uma pena.
Mas se o PCP usa e abusa de vídeos, ainda que essencialmente palha, no PS estes de são uma raridade confrangedoura. Do que estão à espera para pôr Serafim Inocêncio (e António J. Grilo) a falar?

Sabe como decorreram as sessões da Assembleia Municipal na actual maioria PCP/Vitor Proença? Surreal!
Serafim Inocêncio sabe pois é deputado municipal desde 2005. E porque é que tal não é denunciado?

segunda-feira, setembro 25, 2017

Conversas Subversivas 12



O Sr. Silva, quando toda a gente pensava que, esgotado, iria sair de cena eis que quer estar mais quatro anos (paralisado e manipulado) à frente da Junta de Freguesia do Torrão.

O Sr. Montinho, na sua carta de apresentação de candidatura diz que não quer queixumes nem quezílias. No mínimo estranho.

Todos eles, transparência não é com eles. Mas o Sr. Montinho compromete-se a publicar (FINALMENTE) os orçamentos e contas de gerência da Junta de Freguesia. A ver vamos. O Sr. Silva também prometeu.

Mas o Sr. Montinho, que talvez porque já disse que não quer quezílias nem queixumes, ainda não se dignou a dizer o que pensa do facto da página oficial de Facebook da Junta de Freguesia do Torrão, criada no mandato do Sr. Silva ostentar o nome... do presidente bem como o uso indevido confundindo assuntos pessoais com institucionais.

Mas pior.

OS BLOQUEADOS POLÍTICOS

O Sr. Silva, no seu supremo atrevimento e tendo uma noção de democracia um tanto ou quanto distorcida, acha por bem BLOQUEAR munícipes na página da Junta de Freguesia.
SERÁ ISTO ACEITÁVEL? 
Da campanha do PS, nem um piu. É caso para dizer que quem cala consente.

Mas as diatribes do Sr. Silva não se ficaram por aqui. O clímax é atingido em Dezembro de 2015 quando, bastante incomodado e já completamente ultrapassado, o Sr. Silva, à revelia de tudo e todos acaba com o acesso à Internet e quer pôr as culpas no autor do blog Pedra no Chinelo de forma a tentar acicatar a animosidade da população.



Comentário nas redes sociais deixa biblioteca do Torrão sem internet



Comunicado





Uma alarvidade de todo o tamanho que merece ser conhecida em período eleitoral.
O Sr. Silva, ainda para mais que aquando da sua vitória eleitoral e quando neste blog de tal foi dada a notícia, garantia que o autor iria sempre escrever «em liberdade e sem medo».
Um flop imenso, um bluff autêntico, um monumental embuste.




Um flop imenso, um bluff autêntico, um monumental embuste.

A avaliação do mandato do Sr. Silva só pode portanto ser qualificada da seguinte forma:  EQUÍVOCO PERMANENTE; ERRO DE CASTING INFELIZ

Conversas Subversivas 11





Nesta conversa vamos analisar a performance da candidatura socialista aos órgãos autárquicos de Alcácer do Sal.
Em Alcácer do Sal ocorre um fenómeno curioso: Nunca são as oposições que vencem as eleições mas a situação que as perde. Basta pois a estas fazerem o «papel de morto» e esperar até porque se a oposição é aguerrida ganha... anti-corpos de parte da população.
Mas há mais:
O que o PCP/Vitor Proença têm demais - vídeos, ainda que o conteúdo seja maioritariamente palha - o PS da candidata Clarisse Campos tem de menos. Ou serão tímidos ou ainda estão da Idade da Fotografia; ainda não deram o salto para a Idade do Vídeo.
Seja como for, conhece os candidatos? O perfil?
Pessoalmente conheço a Clarisse Campos pois foi minha professora e o Gabriel Geraldo, pois é um rosto do passado... e mais ninguém. Espantosamente nem a Mara Marques. Espantosamente porque é minha conterrânea.

Mas há mais erros estratégicos por ali nomeadamente a abundância de rostos do passado mais ou menos encapotados, cujo rosto maior é justamente Gabriel Geraldo que ainda por cima carrega um incómodo anátema.

Bancando o morto, estes senhores pouco falam de medidas concretas nomeadamente de assuntos que estão passar ao lado e depois não se admirem quando começarem a jorrar coelhos da cartola, isto se saírem vencedores da contenda de 1 de Outubro.
A questão do logótipo do município é uma delas. Já vai em três... por enquanto. 
Será que vai ficar por aqui?



O princípio de tudo. O primeiro «logo», da antiga era PCP.


Com a chegada do PS ao poder, em 2005, uma nova imagem chegou à edilidade.


Em 2013 é aberta a nova era PCP a qual se mantém até ao presente e com ela chega um novo (o terceiro!!!) e actual logótipo.

Ficará por aqui?



Autocarro da Câmara Municipal de Alcácer do Sal ostentando a pintura original. Foto tirada em 2010.




Determinados a erradicar tudo o que fosse identificável com o «antigo regime» o novo executivo PCP/Vitor Proença, mal se apodera dos destinos da edilidade, apressa-se a mudar inclusive a pintura do autocarro camarário.
Estas brincadeiras têm custos. Quanto custou? Perguntem ao Presidente Vítor Proença!

domingo, setembro 24, 2017

Conversas Subversivas 10





O tema desta conversa é, como não podia deixar de ser, autárquicas, mais concretamente a campanha no concelho de Alcácer do Sal.

Nesta primeira conversa, vamos analisar as declarações dos membros do actual executivo camarário, declarações essas que se podem classificar globalmente numa só palavra: Palha.
Mas duas linhas se podem identificar ali contudo:
A primeira, uma «declaração de amor incondicional» a Vitor Proença;
A segunda, a acção desenvolvida neste mandato foi sobretudo de «arrumar a casa».


PARA OUVIR AS ACTUAIS DECLARAÇÕES, VÁ À PÁGINA "Autárquicas CDU Alcácer do Sal"


COMPARE AS DECLARAÇÕES DOS PROTAGONISTAS NA CAMPANHA ELEITORAL DE 2013.






Silva contra Silva

Silva contra Silva é a versão torranense do filme Kramer contra Kramer.
O Sr. Silva, em 2013 e enquanto candidato, criticava com fina ironia as obras feitas à pressa pelo então executivo cujo Nº 2 era justamente o Sr. Montinho, actual cabeça de lista pelo PS e opositor do Sr. Silva. Passados quatro anos eis o ainda Presidente da Junta de Freguesia do Torrão a deitar mão exactamente do mesmo expediente.
É pois caso para dizer: Todos diferentes, todos iguais.

2013


E sempre com o tal dito erro da praxe a que o Sr. Silva já nos habituou. Será visinho ou vizinho?


2017


Como se não bastasse, o desespero total do Sr. Silva leva-o a fazer propaganda inclusive na página dita da Junta de Freguesia. 



Perante isto, há que ter presente o que o Sr. Silva então disse em 2013.



«COMIGO VAI SER DIFERENTE!»


ME ENGANA QUE EU GOSTO

sábado, setembro 23, 2017

Conversas Subversivas 9


Depois do presumível assalto aos paióis nacionais de Tancos as entidades estatais entraram em contradição. Onde é que nós já vimos isto?

Por lapso não referi, mas pelo meio ainda houve aquele episódio rocambolesco do chefe das secretas ter declarado que souberam da notícia... pelos jornais.



Espanha divulga a lista de material roubado em Tancos

Tancos. SIS só soube do roubo pelas notícias no dia seguinte





Fonte: Jornal de Notícias

quarta-feira, setembro 20, 2017

Conversas Subversivas 8






O tema desta conversa vai incidir sobre várias problemáticas na questão operacional da estrutura ou de parte da estrutura encarregue da missão no âmbito do socorro ás populações civis.

Se há tema tabu por excelência em Portugal, esse é o dos bombeiros. Heróis e anjos incondicionais no seio da opinião pública, nada se questiona. Qualquer crítica é considerada injusta e os próprios bombeiros reagem com agressividade à crítica.
Mas será que tudo está bem?


O TEMA TEM SIDO TRATADO POR MIM DESDE 2015:

A praga dos incendiários





No SEXTA ÁS 9 muita coisa veio a lume nomeadamente o que se passa no seio de algumas corporações de bombeiros.


A Verdadeira História da Tragédia de Pedrógão Grande

O que falhou na tragédia de Pedrógão Grande?

SOCORRO EM RISCO

O Que Aconteceu Este Verão?

Escândalo na Proteção Civil


Reportagem do Expresso dando conta da desconfiança da família do bombeiro falecido relativamente ao socorro que lhe foi prestado.







A Unidade Militar de Emergências, de Espanha esteve em Portugal... e «pôs o dedo na ferida».
Mas afinal quem é e como actua esta unidade de elite?







Operacionais espanhóis ajudam no incêndio de Pedrógão



Portugal e Espanha: as diferenças no combate dos dois grandes incêndios, Pedrógão e Doñana

O que os espanhóis que andam nos fogos dizem dos portugueses



Atente-se neste vídeo de motivação e reflicta bem na parte inicial.


sábado, setembro 16, 2017

Conversas Subversivas 7





O tema de hoje:
A grande orquestração do regime

A melhor forma de apalcar, de acalmar a ira, a revolta e a indignação é gerar a comoção.
Cientes, conscios ou pelo menos calculando que tudo tinha corrido mal na tragédia de Pedrógão Grande urgia criar uma manobra de diversão - a juntar às manobras evasivas e à contenção de danos que se fazia e faz de forma desesperada - de forma a gerar comoção, em suma, a criar uma ilusão ou uma espécie de manipulação psicológica.
Como? Não perca.

quarta-feira, setembro 06, 2017

Conversas Subversivas 6




A conversa de hoje, que bem se pode intitular SIRESP para que te quero, em alusão ao célebre ditado. Na verdade, cada vez mais o célebre gesto bíblico da lavagem de mãos se vai tornando uma especialidade portuguesa.

O governo desde o primeiro instante procurou lavar as mãos da tragédia de Pedrógão Grande. Uma das manobras consistiu numa conferência de imprensa da Ministra da Administração de Interna dando conta dos relatórios entretanto produzidos bem como da intenção de aplicar multas ao SIRESP e à PT. Mas... e o Estado? Não tem responsabilidades?

Isto e muito mais.


Material de apoio


Governo vai exigir indemnização ao SIRESP

Governo notifica SIRESP nesta semana de que a vai multar

Deputados do PSD contam o caos que viveram no terreno

O SIRESP, os pedidos de ajuda, a atuação da GNR. O que dizem os últimos relatórios sobre Pedrógão Grande

Pedrógão Grande: 22 falhas, 8 críticas e 32 recomendações